O que as pesquisas recentes dizem sobre os benefícios do ensino bilíngue?

O que as pesquisas recentes dizem sobre os benefícios do ensino bilíngue?

Quais são os benefícios do ensino bilíngue? Esta é uma pergunta que tem sido feita com frequência por pais, professores e escolas principalmente devido ao crescimento da procura por escolas que ofereçam programas de educação bilíngue. Para você que quer entender um pouco mais a respeito das vantagens da educação bilíngue trouxemos os resultados de pesquisas recentes feitas nos Estados Unidos, Canadá e Escócia publicados pela NPR Ed.

Gigi Luk, professora associada da Harvard's Graduate School of Education, afirma que "o bilinguismo é uma experiência que molda o nosso cérebro pro resto da vida". Veja abaixo os principais benefícios, sem mencionar o fato óbvio e notável que: "As crianças bilíngues podem falar duas línguas! Isso é incrível", disse Ellen Bialystok, York University, Toronto, Canadá.

Concentração

Dizer "Bom dia" em casa e, em seguida, "Good Morning" para o professor na escola, ou conseguir pedir um red pencil em vez de um lápis vermelho, requer habilidades do cérebro ligadas à chamada função executiva. As pessoas que falam duas línguas geralmente superam os monolíngues em testes ligados à função executiva. "[Os bilíngues] podem prestar atenção sem se distrair e também são melhores na capacidade de mudar de uma tarefa para outra", diz Antonella Sorace, University of Edinburgh, Escócia.

Essas mesmas vantagens são atribuídas a uma criança que começa a aprender uma segunda língua na escola ao invés de ter contato com a língua desde bebê? Ainda não sabemos. Padrões de aprendizagem de línguas e uso de linguagem são complexos. Mas Gigi Luk em Harvard cita pelo menos um estudo de imagem cerebral em adolescentes que mostra mudanças semelhantes na estrutura do cérebro em comparação com aqueles que são bilíngues desde o nascimento, mesmo quando não começaram a praticar uma segunda língua antes do final da infância.

Se quiser saber mais sobre as funções executivas do cérebro e como elas são importantes no desenvolvimento e na aprendizagem de crianças e adolescentes recomendamos a leitura de:

https://www.brain4child.com.br/neuroblog/294-reforcar-e-praticar-as-habilidades-de-funcoes-executivas-com-criancas-desde-a-infancia-ate-a-adolescencia?showall=1

Leitura

Aprender duas línguas faz os alunos mais conscientes de como a linguagem funciona em geral, algo conhecido como "consciência metalinguística". Esta foi a conclusão a que chegou Jennifer Steele, da American University, após a realização de uma pesquisa de quatro anos com alunos de escolas públicas de Portland, Oregon, que são escolhidos por sorteio para participarem de um programa bilíngue que oferece educação em espanhol, japonês ou mandarim, juntamente com o inglês e que superaram seus colegas que não participam deste programa bilíngue em testes de habilidades de leitura em inglês.

A pesquisa de Gigi Luk em Harvard oferece uma outra explicação para os resultados dos bilíngues em comparação aos monolíngues em testes de leitura. Ela recentemente fez um pequeno estudo, olhando para um grupo de 100 alunos da 4ª série em Massachusetts, que teve pontuações de leitura semelhantes em um teste padrão, mas experiências de linguagem muito diferentes. Alguns alunos eram dominantes em língua estrangeira e estavam apenas começando a aprender inglês e outros eram nativos. Por definição, os dominantes em língua estrangeira tinham vocabulários em inglês muito mais fracos do que os falantes nativos. "Isso é muito surpreendente", diz Luk. Ela diz que o esperado seria que a performance dos alunos em compreensão de leitura refletisse o domínio que eles teriam do vocabulário mas, no entanto, eles eram tão bons quanto os nativos nas habilidades de interpretação e compreensão de um texto.

Como os falantes de língua estrangeira conseguiram esse feito? Bem, Luk descobriu que também obtiveram melhores resultados nos testes das funções executivas do cérebro. Então, mesmo que eles não tivessem grandes dicionários mentais em que se basearem, eles podem ter sido hábeis em solução de problemas, ou seja, talvez tenham levado em consideração o sentido das sentenças dentro do contexto geral da história. Eles chegaram aos mesmos resultados que os monolíngues, mas por um caminho diferente.

Diversidade e integração

As salas de aula das escolas americanas que adotam programas bilíngues são compostas por falantes de inglês nativos deliberadamente colocados junto com imigrantes recentes, resultando em um equilíbrio étnico e socioeconômico e há algumas evidências de que isso ajuda as crianças de todos os contextos a lidar melhor com a diversidade e com culturas diferentes.

Desempenho escolar

Wayne Thomas e Virginia Collier, professores na Universidade George Mason, na Virginia, passaram os últimos 30 anos coletando evidências sobre os benefícios da educação bilíngue. Em estudos que abrangem seis estados e 37 distritos, eles descobriram que, em comparação com alunos em salas de aula apenas em inglês, estudantes de programas bilíngues têm pontuações um pouco maiores nos testes e também parecem estar mais felizes na escola. A frequência é melhor, os problemas comportamentais são menores e o envolvimento dos pais é maior.

Texto baseado no artigo original em inglês publicado em http://ww2.kqed.org/mindshift/2016/11/30/whats-going-on-inside-the-brain-of-a-bilingual-child/

Tags: Benefícios, Pesquisas,
Compartilhar nas redes sociais: